Regra de Vida

1. Podemos definir o nosso carisma como a vivencia da presença de Deus. Todos os outros elementos de nossa vida estão interligados com esse anseio profundo do coração humano. Esse caminho espiritual visa uma progressiva tomada de consciência de que Deus está em nós e de que nós estamos em Deus. Tal graça não se obtém por artificio humano. Vamos nos sentindo envoltos por uma presença totalizante que passa abarcar toda nossa existência. Uma pequena gota imersa no mar, assim se define o secular contemplativo, emerso no imenso mar da misericórdia de Deus.

2. A Eucaristia é o centro de nossas vidas, a Regra Carmelitana sugere que a Igreja esteja no centro das celas para melhor dar a entender a centralidade do culto eucarístico. Também em nossa vida secular somos chamados a manifestar essa centralidade, procuremos participar diariamente da Celebração Eucarística e quando isso não for possível façamos a comunhão espiritual. Prolonguemos o nosso amor eucarístico com a ação de graças que pode se estender por todo o dia, servindo assim de preparação para a próxima Comunhão.

3. Para que a Palavra de Deus esteja abundantemente em nossa boca e em nossos corações e tudo façamos movidos por ela, nos comprometemos em ler e meditar o Evangelho proposto pela liturgia do dia. Esse contato contínuo com a humanidade de Jesus, por meio das Escritura Sagradas, nos ajudará a ter em nós os mesmos sentimentos que havia no coração de Cristo Jesus (Fl 2,5).

4. Manifestamos nossa aliança de amor com Nossa Senhora por meio do uso do Escapulário e também de alguma prática diária de devoção mariana, que poderá ser o terço ou ângelus ou magnifica. Busquemos que o nosso lar seja uma representação daquele lar de Nazaré, onde a Sagrada Família vivia em plena disponibilidade à vontade do Pai, no cotidiano de uma vida simples.

5. Como nosso objetivo é a comunhão com Deus, por meio da oração contemplativa, faz-se necessário o silêncio que nos coloca em sintonia com Deus. Criaremos em nossas casas um ambiente de silêncio, evitaremos o uso imoderado dos meios de comunicação. Se pela visão e pela audição permitimos que entre em nossas mentes futilidades teremos grande dificuldade de encontrar a paz necessária para nosso estilo de vida. Buscaremos intensificar essa solidão povoada pelo retiro mensal e pelo retiro anual.

6. Para que os frutos da vida contemplativa se expressem na comunhão fraterna nos agruparemos em “cenóbios”. Por cenóbios entendemos grupos de 6 pessoas, que professando a Regra de Vida para Seculares Contemplativos, se encontram periodicamente, afim de partilhar a vida de oração. Cabe ao prior (a) conduzir o grupo, animando-os irmãos (ãs) e fomentando a unidade. O prior (a) será eleito (a) e seu mandato durará um ano, podendo ser reeleito apenas para um segundo mandato. Aqui se viva aquela máxima teresiana: “aqueles que são amigos de Deus sejam amigos entre si”.

7. Sendo que o desejo de Deus é esculpir em nós a imagem de seu Filho Jesus Cristo procuraremos nos dispor para a ação do Espírito Santo. Cada um assuma com determinação o compromisso da formação pessoal, essa ocorrerá principalmente pela direção espiritual e pela leitura dos místicos carmelitas. A nível comunitário, cada cenóbio seguindo a moção do Espírito Santo, escolherá uma obra dos santos do Carmelo para conhecê-la e estudá-la durante um ano.

8. Que cada um de nossos membros traga em seu coração um ardente desejo de salvação das almas como havia no coração de nossos santos. Procuraremos com nossa presença na sociedade ser sinal da presença de Deus. Assim, nos empenharemos para que o testemunho que brota da alegria do Evangelho contagie aos nossos contemporâneos. Nossa principal missão é transmitir, por meio de uma vida coerente, a mensagem evangélica.

9. Como nosso ideal de vida é um tesouro a ser compartilhado trabalharemos para que nossos cenóbios se expandam. Todos que, tendo professado a nossa Regra de Vida e sentindo-se chamados a fundarem um novo cenóbio farão primeiro o devido discernimento com seus irmãos e somente então darão início a essa nova comunidade, contudo sem desvincular-se de sua comunidade original. Se desvinculará desse novo cenóbio após vê-lo estruturado e fortalecido. Com essa iniciativa participemos daquela alegria que tinha Santa Teresa quando iniciava uma nova fundação ao ver edificado mais um lugar onde Deus seria amado e servido.

10. Para tornar-se membro da Família Secular Contemplativa é necessário um ano de experiência, após esse ano se emitirá a promessa de seguir a Regra de Vida em algum dos dias indicados (19/03 São José; 16/07 Nossa Senhora do Carmo; 15/10 Santa Teresa ou 14/12 São João da Cruz). A promessa é feita por um ano e se renovará cada ano no mesmo dia da primeira promessa ou cerca dela.

Anúncios